quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Esse cara


No início da década de 1970, Jards Macalé recebeu duas letras de Caetano para musicar. Conseguiu fazer só uma, que permanece inédita até hoje.

A outra, Macalé, em entrevista para a Folha, contou que não foi capaz de compor. Motivo: “Na época, 1971, eu era bem homofóbico, digamos assim. E não consegui cantar aquela letra no feminino. Travei. Um dia, ele [Caetano] foi no meu quarto e pediu a letra de volta. E fez dela um grande hit.”

O hit em questão é Esse Cara, que Caetano musicaria ele mesmo em seguida – e eu só viria a conhecer quando Cazuza a gravou em 1989, no disco Burguesia.

Quando ouvi Esse Cara pela primeira vez, estremeci. Achei lindo e libertador ouvir um cara [Cazuza] cantando sobre outro cara.

Hoje, percebo que essa canção sou eu. Nunca soube amar na dose certa. Sempre amo além da conta, desgovernado e, como diz a letra de Caetano, acabo sendo consumido por esses caras que, quando vem a madrugada, somem.

Por amor, "estou para o que der e vier". Amo no feminino.

Ouça Esse Cara  
  

Nenhum comentário:

Postar um comentário