quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Somos mimados e enjoadinhos


Em algum lugar do passado, a gente precisava levantar a bunda do sofá para mudar o canal da televisão. Em algum lugar ainda mais distante do passado, não havia nem televisão.

Hoje, além de televisão de vários modelos e tamanhos, a gente tem elevador, telefone celular, internet sem fio, abridor de lata, lubrificante íntimo, avião, forno de micro-ondas, antidepressivos.

Para tudo (ou quase tudo), cérebros inteligentes inventaram maneiras eficazes de tornar a nossa vida mais fácil. Por isso, comemore! Ou você queria ter vivido numa época sem anestesia? Eu não.

Neste mundo atual, cheio de confortos e atalhos, não precisamos fazer muito esforço para sobreviver. Está com fome? Basta fazer um macarrão instantâneo. Está com dor de cabeça? Basta tomar um analgésico.

Essas facilidades tecnológicas fizeram a gente ficar mal acostumado. Viramos seres mimados e enjoadinhos, incapazes de suportar a dor, a tristeza, as frustrações.

Queremos "soluções mágicas" para todo mal. Queremos estar bem o tempo todo. Queremos que tudo seja delivery: "Ei, me manda aí uma porção de felicidade!"

Que pena. Ainda não inventaram felicidade com entrega em domicílio. Mas, pelo menos, já temos papel higiênico de folha dupla cheirando à maçã verde.

Nenhum comentário:

Postar um comentário