domingo, 21 de outubro de 2012

A vida não podia ser só aquilo



“A vida não podia ser só aquilo que nos era imposto e que assumíamos como um tributo a pagar, sem qualquer protesto. Mas então seria o quê? Olhou à sua volta, procurando em vão algum indício. Continuava tudo no seu lugar. E no entanto devia haver uma senha, qualquer coisa que permitisse transpor a barreira da rotina e da indolência e chegar por fim ao conhecimento, à verdadeira realidade.”

Julio Ramón Ribeyro, A Palavra do Mudo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário