quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Carminha soltou os cachorros. E a gente vibrou no sofá

Cedo ou tarde, a verdade aparece. Aconteceu segunda-feira (8/10) no capítulo mais sensacional de Avenida Brasil.

Desmascarada, Carminha soltou os cachorros, mostrando a sua verdadeira persona e revelando o que sempre pensou sobre o Tufão, a “família cafona” do Tufão e o “subúrbio de merda” onde vive. 

Carminha foi xingada de “vagabunda, vadia, cachorra”, levou alguns tapas na cara, foi escorraçada da mansão, mas aposto que a vilã está se sentindo bem mais leve e relaxada.

Embora dolorido, todo acerto de contas é libertador.

Na maior parte do tempo, fingimos. Agimos como Carminha e evitamos expor o que realmente pensamos e sentimos. Principalmente no ambiente familiar e profissional. Pense aí em quantas coisas você engole para não “ofender” as pessoas ao seu redor.

Uns mais, outros menos, com más intenções ou não, todos somos dissimulados. Mas há momentos em que a situação foge do nosso controle e as verdades de cada um vêm à tona. É aí que o bicho pega. E é aí que descobrimos com quem, de fato, estamos lidando.

Carminha falou o que pensava, esculhambou geral. E a gente vibrou feito criança no sofá da sala. Afinal, cá entre nós, existe coisa mais prazerosa que botar pra fora aquilo que está entalado na garganta? Falar na cara do outro o que o outro jamais imaginou ouvir?

Sim, é cruel. Mas sinto avisar: é da essência humana ser cruel e tolo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário