domingo, 14 de outubro de 2012

Depressivos S/A

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), mais de 350 milhões de pessoas no mundo sofre de depressão e outros problemas mentais. É gente pra dedéu. Quase duas vezes a população do Brasil (190 milhões e uns quebrados).

Mas onde está toda essa gente depressiva? Resposta possível: trancada no banheiro.

A OMS avisa: devido ao estigma que cerca a depressão, muitos custam a admitir que estão doentes. E mesmo aqueles que procuram tratamento, fazem o diabo para se manter no anonimato, escondendo de todos a sua tristeza. Afinal, como já escrevi aqui, os depressivos são más companhias.

Por ser uma doença “invisível”, a depressão não é compreendida pelos “idiotas da objetividade” e gera comentários como esse: “Penso que um tanque cheio de roupa suja de um asilo, orfanato ou qualquer outra entidade cura qualquer depressão.”

(Se eu pego a filha da puta que fez esse comentário, afogo a desgraçada no tanque!)

São mais de 350 milhões de pessoas insatisfeitas, entediadas, melancólicas, suportando o peso de uma dor que só quem já sentiu sabe que não é qualquer bobagem.

É dor de ausência, de abandono, de desencanto. Dor de vazio, de desânimo, de quem está com a alma fraturada.

Assim como há pessoas duras como pedra, há outras que vêm ao mundo com almas frágeis – almas que podem se quebrar na primeira queda. Mas os "saudáveis" só conhecem a dor física, exposta. Ignoram a dor que abrigamos dentro de nós.

Leia a notícia sobre dados da OMS aqui
   

6 comentários:

  1. Parabéns sintetizou em palavras um pedacinho da dor que muitas pessoas assim como eu e vc sentem...

    ResponderExcluir
  2. Eu sofro de depressão moderada crônica e não tratada corretamente porque simplesmente me recuso a tomar os remédios. Já tive dores sérias por vários dias no fígado, cheguei a aumentar de peso, bati o carro, perdi o pen drive com todos os meus arquivos de trabalho... Para muitas pessoas, porém, não dá nem pra levantar da cama sem tomar remédio. É isso mesmo, a gente cala, não fala que se medica, quando é preciso tomar remédio abandona o tratamento e vive uma vida improdutiva.

    ResponderExcluir
  3. Oi Marcos, adorei o que escreveu, sinto o mesmo que você!
    Mas tenho um porém: nunca escondi que sofro com a depressão e com a ansiedade, por maior que seja o preconceito que vou encontrar! Não escondo, falo logo, gosto de deixar bem claro, pq sim, tenho meus problemas e quem não tem? Uns são depressivos, outros são chatos, outros mal humorados, é uma lista bem longa!
    Sou a favor de informar quem me conhece, quem trabalha comigo que tenho essa doença, mas informo também que não é por não lutar, pq luto todos os dias. Agindo assim já ganhei respeito de alguns e preconceito de outros, mas sinceramente, não vou me esconder de ninguém! Esconder que temos o problema só ajuda que o preconceito seja maior!
    Abs, Paula

    ResponderExcluir
  4. Fazendo umas pesquisas no google, cheguei a este site. Este post, especialmente, me tocou a alma. Entendo q seja muito difícil para as pessoas do nosso convívio entenderem essa dor invisível. Algumas pessoas muito próximas a mim até duvidam q ela existe. Mas pra mim é real e desesperadora. Sinto um medo imenso porque não sei de onde vem essa dor ou pra onde ela vai me levar. E o tratamento é difícil. Vivo num eterno dilema sobre o q é menos nocivo para a minga vida, a dor ou os efeitos colaterais da medicação...

    ResponderExcluir
  5. Oi Marcos, cheguei até vc fazendo uma pesquisa sobre o remédio exodus. Amei as coisas que escreveu e postei no meu face, parte desse texto, colocando seu crédito claro. Abs.

    ResponderExcluir
  6. ola eu estava no google... so esplarecendo um pouco... ate que achei esse site,bem eu nao sei oque eu tenho,mas sei que do nada fico chateada,me sinto so apesar de ter pessoas que me fazem bem,tenho grande facilidade para chorar e choro mt quando me sinto triste(as pessoas ao meu redor me julga mt,ate mesmo meus familiares) sinto mt vontade de me mutilar...muita das vezes me auto-machuco de proposito e nunca sei o motivo de ser assim
    meu coraçao aperta mt... perco o apetiti...me sinto fraca... dores e preçoes fortes na cabeça e um mal estar no corpo..
    minha familia me ve como maluca doida .. . por issso tudo... e agora estao atraz de um pisicologo e um pisiquiatra pra mim... mas antes me julgaram mt e sempre jogam na minha cara...

    ResponderExcluir