segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Quem matou Max?

O Brasil inteiro quer saber quem matou o Max, o “malandro-agulha” da novela Avenida Brasil (“Malandro-agulha”, li num artigo do Jabor, é aquele que “toma no buraco, mas não perde a linha”).

Mas será mesmo que o Brasil inteiro está ligado nessa novela?

Não, claro que não. Os inteligentes (sim, há pessoas inteligentes neste país de banguelas!) estão preocupados é com as eleições municipais, com o julgamento do mensalão, com o desmatamento da Amazônia, com o aquecimento global, com a situação da Síria, com a crise na Europa. Enfim, com temas que sejam (ops!) relevantes.

Só gente burra assiste novela e fica aí, de bobeira, falando sobre o final de Avenida Brasil. Gente cheirosinha e diferenciada não admite tamanha alienação, não se mistura à patuleia desinformada, pertence à categoria mais sofisticada de ser humano e, ao que parece, não brinca nem se distrai com bobagens.

Quer saber? A pessoa tem todo o direito de não gostar de novela, de não estar nem aí para Avenida Brasil, mas ficar de mimimi porque os outros estão se divertindo com a trama envolvente criada pelo João Emanuel Carneiro é coisa de gente recalcada. Aquele tipo de gente que, por não poder viajar, torce para que a chuva estrague a viagem dos outros. 

Na vida, há espaço para tudo. Para o sério e para o lúdico. E um não elimina o outro. Completam-se. Afinal, sem um pouco de recreação e vadiagem de vez em quando, quem de nós suporta “o ridículo de estar vivo”?

Nenhum comentário:

Postar um comentário