segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Mais do mesmo


Às vezes me sinto como se fosse uma prostituta de beira de estrada que faz qualquer negócio por alguns trocados. Aceito realizar trabalhos que detesto; aceito ganhar menos por trabalhos que me deixam completamente esgotado.

Alguns amigos falam que devo “valorizar o meu passe”, evitando aceitar qualquer porcaria que me oferecem. Argumento que não sou a Julia Roberts. Se fosse, é claro que só escolheria fazer aquilo que tivesse vontade ou que considerasse relevante.

Esse é, com certeza, o ideal de vida de todos nós. O problema é que apenas alguns poucos podem agir assim sem correr o risco de ir morar sob a marquise mais próxima. A raspa da humanidade (a grande maioria) necessita acordar cedo e vender sua mão-de-obra barata para garantir a grana do aluguel.

Sim, eu também acho linda a ideia de “jogar tudo para o alto” e viver de brisa. E também acho que “dinheiro não compra felicidade”. Mas compra comida, TV a cabo e cigarros, o que para mim já basta.

Estamos em dezembro, 2012 logo acaba e, avaliando mais um ano que vai embora, percebo que 300 e tantos dias se passaram, eu trabalhei feito um burro de carga e, póin, não saí do lugar. Continuo pobre pobre de marré deci.

Isso é bem pior do que eu me sentir como se fosse uma prostituta de beira de estrada. É a comprovação de que não estou construindo nada. Ok, esse papo é bem classe média, mas confesso que estou meio de saco cheio de viver na corda bamba.

Em muitas situações, fazemos sacrifícios hoje para colhermos resultados amanhã. Mas e quando todo sacrifício resulta em mais do mesmo, vale a pena insistir?

Termino o ano com vontade de virar pasteleiro.
 

Um comentário:

  1. ha quase uma decada, literalmente, luto por algo que, até agora, nada. Se conseguirei? Nem o melhor cartomatne do mundo acho qeu me responde isto...

    tudo isto para dizer que me pergunto a sua frasesinha básica dai de cima todos os dias da minha vida nesta ultima quase-decada de vida. E me apego ao "pelo menos estou fazendo minha parte" para nao pular da janela de casa.

    ResponderExcluir