domingo, 31 de março de 2013

A Caça - o filme


A Caça, longa do dinamarquês Thomas Vinterberg, é bom demais. É aquele tipo de filme que não acaba quando acaba. Permanece na nossa cabeça, faz a gente pensar por dias sobre o que assistiu.

Lucas, interpretado por Mads Mikkelsen (vencedor do prêmio de melhor ator no Festival de Cannes em 2012), é professor de uma escola infantil. É um cara bacana, adorado pelas crianças e admirado pelos amigos na pequena cidade onde mora.

Tudo muda quando a menina Klara, em conversa com a diretora da escola, insinua que foi abusada por Lucas. Não foi –  a gente sabe – mas aí o estrago já está feito. Como diz um dos personagens do filme, “criança não mente”, e o professor, sem poder se defender, logo é acusado de pedofilia, sofrendo reações de repúdio e violência.

A pedofilia, claro, deve ser combatida. Mas o filme mostra que é preciso tomar muito cuidado antes de sair acusando, julgando e condenando supostos culpados. Crianças mentem sim, fantasiam e, para piorar, muitas vezes são obrigadas a mentir para os adultos para satisfazê-los. Klara, mais de uma vez, confessa que falou besteira, que o professor “não fez nada”. Os adultos, porém, insistem no contrário, confundindo ainda mais a menina, que chega a acreditar que foi, de fato, abusada.

A Caça é um filme tenso. A gente se identifica de imediato com Lucas e espera que ele reaja, que ele consiga provar de alguma forma a sua inocência. Missão complicada. Certas mentiras jamais são completamente desmentidas.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário