quinta-feira, 14 de março de 2013

Primitivismo vergonhoso

A Dinamarca é um país espantoso. Em Copenhague, a capital, existe uma instituição onde dependentes de álcool podem se internar para continuar bebendo. Isso mesmo: o E-huset não é clínica de reabilitação; é lugar onde o sujeito bebe até morrer. "They tried to make me go to rehab/ But I said no, no, no". Se interessar, leia aqui.

Hoje (quinta-feira, 14), o UOL publicou notícia sobre um estudo dinamarquês que revela que a mortalidade de homens casados com outros homens caiu expressivamente naquele país desde 1990.

A pesquisa é só mais uma pesquisa. Não me interessa. O que me causa calafrios é saber que, enquanto a Dinamarca já realiza estudos desse tipo envolvendo o casamento gay, aqui na República das Bundas Alegres ainda vivemos um primitivismo vergonhoso em relação aos direitos dos homossexuais.

Indicar um pastor evangélico homofóbico racista para a presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias não é apenas absurdo e surreal. É mais um exemplo contundente do nosso atraso.   

A Dinamarca foi o primeiro país a instituir o casamento igualitário no longínquo ano de 1989 e casais gays têm direitos iguais de adoção. Aqui, em vez de evoluir, “andar para frente” e, dentro do possível, tentar atingir algum nível de civilidade, assistimos ao crescimento perigoso de forças conservadoras e religiosas que empurram o país para trás.

Ver Jair Bolsonarossauro (outro nazi-homofóbico, foto acima) ao lado de Marco FelíciÂnus na primeira sessão da CDH presidida pelo segundo foi de embrulhar o estômago. Vale lembrar que esses canalhas estão lá porque as Bundas Alegres os colocaram lá. "Cada povo tem os políticos que merece."

Enquanto isso, no distante século 21, Jon Gnarr (foto acima), o prefeito da capital da Islândia, outro país espantoso, abre a parada gay da cidade vestido de drag queen.

Você ainda acha que o Brasil é "o país do futuro"? Pois saiba que o futuro já chegou faz tempo em várias regiões do mundo e o Brasil não sai do lugar. Pior: retrocede.

Um comentário:

  1. Sinto uma vergonha imensa deste país. Sinto essa gente se sujando ainda mais, sinto raiva de Brasília. Queria ver esse país afundando no oceano Atlântico com toda a sua ignorância e imundice.

    ResponderExcluir