quinta-feira, 27 de junho de 2013

Não me ufano

 
Quase fui pego pela “modinha” dos protestos. Quase fui para a rua pintado de verde-e-amarelo fingir que eu me importo. Mas escapei do vexame patriótico no último minuto devido a um mal-jeito terrível nas costas. Na verdade, eu não me importo, não me ufano, não estou nem aí para o Brasil. Sou alheio, alienado, apolítico, pobre de espírito, velho demais para caminhar quilômetros em passeatas.

Meu voto é nulo. Ninguém me representa. Vivo na mediocridade, à margem dos grandes acontecimentos, sem conseguir me envolver com nada. Mas, se tivesse que escolher um lado, acho que escolheria os Vândalos, os Baderneiros, aqueles que têm muita raiva no coração. Sei lá, acho-os mais autênticos do que a menina fofa da cartolina.

Não pense que me orgulho de ser assim. Não. Sinto tremendo vazio por ser incapaz de me apegar, de me engajar, de me apaixonar por uma causa qualquer. Juro, queria ter o mesmo sentimento de revolta de quem vai às ruas quebrar vidraças, derrubar muros. Acho bonito quem se encanta: por alguém, por um sonho, por uma bandeira.

Eu, sem ideologia nenhuma, não busco utopias, mudanças, transformações, rupturas. Vivo à esmo, um dia de cada vez, como o “sujeito chato” da canção Ouro de Tolo, do Raul Seixas. Aquele “que não acha nada engraçado: macaco, praia, carro, jornal, tobogã”, olha-se no espelho e se sente um “grandissíssimo idiota”.

Não é legal assumir isso. Mas como já assumi tantas fraquezas e decepções e desinteresses e babaquices, sigo afundado em minha letargia existencial sem me importar com o que os outros pensam de mim.

A quem quer mudar o Brasil, força e sorte. A mim, que vim ao mundo sem entusiasmo, resta-me ficar sentado "no trono de um apartamento, com a boca escancarada, cheia de dentes, esperando a morte chegar"

Ih, acho que a depressão volta a me espreitar...
    

5 comentários:

  1. Estava ansiosa para ler um texto seu sobre os protestos!

    Não é depressão; é realidade. Se é que existirá mudanças significativas nesse país será daqui a séculos, ou seja, não estaremos aqui.

    Mas está sendo bacana ver o primeiríssimo passo da população!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que é o "primeiríssimo passo" de algo imprevisível, que ninguém sabe muito bem onde vai parar. bj.

      Excluir
  2. Pois é, mas aiiinda é melhor que nada hehe

    No dia em que a população descobrir o que é "iniciativa popular", o bicho vai pegar!

    ResponderExcluir
  3. Pena que ainda são poucos os brasileiros (leia-se "eleitores") que estão preparados para entender o que se passa com vc, Idiota Feliz!!! O pior é que alguns ainda acham interessante o que vc escreve!!! É por isto que estamos onde estamos....

    Magnus Tama
    "Só existem duas coisas infinitas: o Universo e imbecilidade humana" (Albert Einstein)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Força e sorte, amigo. "O povo unido jamais será vencido!"

      Excluir