quinta-feira, 11 de julho de 2013

Horas vagas


Sou neurótico do tipo que precisa estar ocupado o tempo todo. Se não tenho o que fazer, entristeço, perco o equilíbrio, deprimo, fico rodopiando pelo apartamento feito barata tonta.

Existem pessoas – e eu as invejo – que conseguem permanecer horas e horas paradas, contemplativas, observando as belezas do mundo. Eu não. Eu nem sequer percebo as belezas do mundo. Olho para o céu de noite e não vejo estrelas, vejo pontos luz.

Ansiedade é foda. Ansiedade me inquieta de um jeito que acabo imobilizado. Parece contraditório, mas é assim que acontece comigo.

Se estou desocupado, a ansiedade vem e eu necessito com urgência fazer alguma coisa (qualquer coisa!) para enganar a vida, mas fico tão ansioso por fazer alguma coisa que acabo não conseguindo me concentrar em porra nenhuma.

Abro um livro: desisto no segundo parágrafo. Ligo a TV: nada me interessa. Sento no sofá para ver um filme: oh, Sandra Bullock não!

Aí eu fumo um cigarro atrás do outro. Aí eu bebo café. Aí eu devoro uma caixa de bombons. Aí eu rôo as unhas. Aí eu me masturbo. Aí eu tomo banho. Aí eu vou até a padaria. Aí eu tento escapar do tédio que o não-fazer-porra-nenhuma me causa. Mas olha... meu tédio é tipo o Godzilla – um monstro grande e feio que, quando eu penso que morreu, sempre volta maior e mais feio em nova versão.

O que me acalma um pouco é o trabalho. Quando algum trabalho legal surge, eu me afundo nele. O problema é que nem todo trabalho que surge é legal e nem a vida é feita só de trabalho. Sinto falta de, quem sabe, dançar ula ula no Havaí – ou algo assim. Algo capaz de me entreter nas horas vagas.

Acho que vou ali na praça jogar milho aos pombos.

10 comentários:

  1. [A paranóia é a consciência aguda da fragilidade da vida.] Pondé

    ResponderExcluir
  2. Já pensou se você tem TDAH?

    Antes fui diagnosticada como bipolar, mas na verdade tenho TDAH...

    Leia sobre o assunto e veja se encaixa...

    Sucesso!

    ResponderExcluir
  3. Vai ver uma viagem ao Havaí e dançar hula hula ou uma viagem exótica possa te trazer novidades na sua vida. Desafios.
    Tentar esquiar no Chile. Fazer compras no Panamá..
    Viagens me ajudam.
    O problema é no intervalo de 12 meses entre elas...

    ResponderExcluir
  4. Talvez vc precise encontrar alguém que feche contigo. Sabe, sair, conversar, etc...
    Pelo menos vc consegue sair de casa, mesmo que não consiga se sentir tranquilo a ponto de desfrutar da beleza que está lá fora, ainda sim vc sai e isso é positivo.
    Um bom terapeuta pode ajudar, um curso, academia e tentar reduzir estimulantes como o café e o cigarro que tanto gosta.
    Tem dias que não consigo sair de casa por conta do pânico, mas sempre temos que tentar.

    Boa sorte.
    Fica com Deus.

    ResponderExcluir
  5. Também sinto isso , aí fico pensando naquela frase '' mente vazia é oficina do diabo'' , é como se esse próprio diabo fosse os meus pensamentos.

    ResponderExcluir
  6. eu tenho pânico de pessoas enchendo o saco no meu portão...por ex:vendedores,pessoas estranhas querendo uma simples informação ou até um parente que eu precise dar atenção,eu trabalho como cabeleireira em casa tenho uma sala..estou com pavor de atender pessoas e meu marido ainda não percebeu isso esta se tornando um transtorno pra mim,ele simplesmente não entende. qndo eu saio que fico fora de casa eu fico bem,mas qndo volto tranco toda a casa e falo pra minha filha se alguém me chamar no portão diz que eu saí...meu DEUS o que será que esta acontecendo cmg,Não quero ver gente principalmente pessoas que precisem da minha presença como eu queria largar as visitas n sala sozinhas e deitar ficar no meu canto.

    ResponderExcluir
  7. "Se estou desocupado, a ansiedade vem e eu necessito com urgência fazer alguma coisa (qualquer coisa!) para enganar a vida, mas fico tão ansioso por fazer alguma coisa que acabo não conseguindo me concentrar em porra nenhuma" - EU!!!

    ResponderExcluir