sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Virando a página

Dia desses, um amigo parou de ser meu amigo. Assim, de repente. Sem se explicar. Simplesmente não me atendeu mais. Fiquei puto; depois, triste. Agora, estou “nem aí”. Não me quer? Ok, seja feliz bem longe de mim.

Informo: nada aprontei para prejudicá-lo.


Só que não sou do tipo que mendiga atenção, amizade, afeto. Restos e raspas não me interessam. E se a pessoa prefere se afastar de mim, eu prefiro que se afaste mesmo.


Prefiro estar só do que mal acompanhado.


Prefiro café forte e meio amargo.


Prefiro levar um tombo a dever favores a quem vai me cobrar em dobro.


Prefiro um tapa na cara a tapinhas nas costas.


Prefiro aqueles que falam o que pensam a aqueles que pensam duas vezes antes de falar.


Viver, afinal, é assim mesmo: ganha-se aqui, perde-se ali. E se ganhar é bom, pior que perder é ficar lamentando a perda.


Prefiro virar a página.


Prefiro amizades sinceras.


2 comentários:

  1. Por isso mesmo que estou aqui, sendo um idiota, mas feliz. Melhor que ter a "felicidade de porcelana" que tantos estampam por aí. Já passei por situação parecida. O melhor é ficar na sua mesmo. Só que sou ruim, posso acabar pagando com uma moeda pior, por exemplo, se a pessoa um dia vier falar comigo. Não vou sorrir, provavelmente ela será ignorada "na lata". Não consigo sorrir para gente que para mim se tornou invisível. Seria esquizofrenia :D Abraços Marcos, é bom estar por aqui, meio sumido, mas sempre por aê

    ResponderExcluir
  2. voce eh foda!!! te adoro

    ResponderExcluir