sexta-feira, 1 de novembro de 2013

A "cura gay" segundo Walcyr Carrasco

Eron (Marcelo Antony) é casado com Nico (Thiago Fragoso), mas Walcyr Carrasco, o autor de "Amor à Vida", resolveu "curar" Eron, fazendo-o se apaixonar por Amarilys (Danielle Winits).

A gente sabe que alguns homossexuais demoram a se descobrir homossexuais. Muitas vezes, só percebem sua verdadeira orientação sexual depois de se relacionar com pessoas do sexo oposto. Eron é um desses. E talvez seja bissexual, talvez goste de meninos e meninas, embora nunca tenha declarado isso.

A gente também sabe que alguns homossexuais podem ter uma transa heterossexual. Acontece. 

O problema é que a história de Eron, Nico e Amarilys, como "mensagem" ao desinformado público que assiste à novela, só reforça a ideia torta de que homossexuais podem ser "revertidos", podem voltar a ser "normais". 

Consigo até imaginar o sujeito bigodudo, sentado no sofá em frente da TV, coçando o saco e exclamando sua homofobia em alto e bom som: "Tá vendo? Se a bicha quiser, toma vergonha na cara e vira homem!".

Félix (Matheus Solano), o outro gay da novela, também segue casado com uma mulher: Edith (Bárbara Paz).  

No começo da novela, pensei que o autor apresentaria um casal gay bem resolvido (Eron e Nico), cujo único drama seria o de ter um filho com a ajuda de uma "barriga de aluguel", o que seria um avanço e tanto. 

Mas Walcyr Carrasco, ao que parece, preferiu se juntar ao Feliciano, mostrando ao público que os homossexuais temos "cura". E, para isso, nem necessitamos de "tratamento". Basta uma mulher bonita nos seduzir com sua gostosura.

Walcyr, volta para o horário das 7, das novelas pastelão. Seu lugar é lá.      
     

2 comentários:

  1. Mas ele já fez isso em uma novela suas da 7, em que o gay afetado ficou com a maria purpurina até quase o final da novela, mas acabou terminando com um homem. Aliás foram 2 novelas da 7 que aconteceu isso, mas sempre o "curado" terminava com o h. A maioria dos telespectadores de novelas podem ser desinformados mesmo, mas acho que uma "novela" como o próprio nome diz deve enrolar muito e ter muito drama etc. Então nada melhor que uma pessoas que gosta dos dois sexos pra "movimentar" a trama. Cada um tem sua história sexual, não ligo mais pra essas coisas de novela, antes ligava, mas agora não. E na novela das 7 atual que um personagem hetero até pouco tempo, se descobriu apaixonado pelo gay da trama. Agente só fala do que nos incomoda, mas achei legal isso, todas novelas da globo o gay fica com mulher em algum ponto, agora foi o contrário na novela das 7.

    ResponderExcluir
  2. Marcos, o drama poderia ter sido o contrário. Mas eles não iriam deixar de pegar carona nos atuais acontecimentos. Quis polemizar mesmo. O dia em que eu ver um protagonista negro e gay eu entenderei que as pessoas estão mudando aqui no Brasil. Abraços Marcos.

    ResponderExcluir