quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Além do horizonte

Na nova novela global das 19h, "Além do Horizonte", tem um pessoal lá que larga tudo para sair em busca de uma tal "felicidade concreta". 

Você que é inteligente pra burro sabe, não sabe? Felicidade não existe - muito menos "felicidade concreta". E nem adianta procurar lá no além do horizonte. No além do horizonte só tem mais horizonte.  

Felicidade nada mais é que quimera. Esqueceu o que é quimera? O Houaiss ensina: "fantasia, sonho, esperança ou projeto geralmente irrealizável; utopia".

E ainda bem que seja assim. 

Se felicidade fosse um lugar, nos mataríamos para cabermos todos nesse lugar. Se felicidade fosse realização profissional, beleza e fama, Marilyn Monroe não teria morrido solitária e entupida de barbitúricos. Se felicidade fosse algo concreto, como uma bolsa Louis Vuitton, o que faríamos depois de conseguir comprar a bolsa?

Felicidade é busca. É como um farol que nos guia e nos move em direção a algo, a alguém, ao Nada. Sim, ao Nada, porque depois de tudo, vem o Nada. "Do pó viemos e ao pó voltaremos".

Felicidade é sensação. Vivências de afetos e emoções que experimentamos, em porções homeopáticas, durante o nosso percurso até o Nada. 

Felicidade é sacana. Adquire inúmeras formas e se faz visível para que a gente corra atrás dela. Às vezes a alcançamos. Mas aí ela escapa e se transforma em outra coisa - e lá vamos nós de novo correr atrás dela.

Assim é. Viver só faz sentido porque temos a ilusão de que podemos ser completamente felizes um dia.

Sem essa ilusão, seria impossível suportar o vazio da existência.   

Um comentário:

  1. eu nao sei bem, me aprece que esta busca da felicidade tem um efeito perverso, pois acabamos sempre perguindo uma sonhada, ou estereotipada pela midia e pela sociedade, e nem aproveitamos as pequenas felicidades de todo dia, ao inves de um farol ela parece mais um horizzonte, que nunca alcançamos! e isto nos frustra não frustra?

    ResponderExcluir