quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

Surdez burra

Meio de saco cheio desse blá-blá-blá. 

Outra reportagem surge para explicar o óbvio: "Ser gay não é uma escolha e é tão natural quanto ser heterossexual" (tá no UOL, leia aqui).

Até quando?

Não há nada mais chato que ter que ficar explicando para os outros quem você é. Principalmente quando esses outros não estão nem um pouco a fim de entender. Ou pior: sofrem de um certo mal que acomete muita gente: surdez burra. Aí, não tem jeito. Jamais vão entender mesmo.

Eu já cansei de me explicar.

Antes, vivia reunindo argumentos e provas científicas para validar quem eu sou, como se eu fosse um "mistério da natureza". Ou pior: um criminoso que necessitasse provar a minha inocência.

Hoje, não mais. Hoje, aciono o botão *FODA-SE!* 

Resolvi que não devo satisfação a ninguém. Sou o que sou e quem não gostar que mantenha distância segura de mim.

Ter que explicar quem eu sou é como estar pedindo permissão para ser quem eu sou, como se eu precisasse da aprovação dos outros para existir. 


Não preciso.

A sua opinião não me interessa. O seu deus não me interessa. E o seu preconceito só evidencia o seu atrofiamento mental.

Certa vez, alguém me perguntou: "Você é gay?". Respondi: "Entre outras dezenas de coisas mais importantes, sim, sou gay".

Para finalizar, vou de Bob Marley: "Vocês riem de mim por eu ser diferente, e eu rio de vocês por serem todos iguais".

2 comentários:

  1. O "foda-se" às vezes é o melhor remédio.

    ResponderExcluir
  2. mas vc fica incomodado quando alguém pergunta? eu não ligo, às vezes é só gente curiosa, mas não necessariamente preconceituosa ou má.

    ResponderExcluir