quinta-feira, 13 de agosto de 2015

a opinião dos outros

Antes de publicar o meu livro Amor? lá na Amazon, pedi a opinião de algumas pessoas sobre os contos. Uns curtiram; outros, nem tanto. Normal. Ninguém é capaz de agradar a todos ao mesmo tempo. Mas por que será que a opinião daqueles que não gostaram parece "pesar" mais que a daqueles que gostaram?

Concluí o seguinte: quando a gente pede a opinião das pessoas sobre alguma coisa é como estar "pedindo permissão". É como se eu tivesse perguntado: "Posso publicar?".

Porra, eu não preciso da permissão de ninguém pra fazer o que bem entendo!

Percebi que a opinião dessas pessoas valem tanto quanto a minha. E, se são opiniões equivalentes, a opinião que deve prevalecer é a minha, não a dos outros. Se curto o que escrevo, se gosto do meu cabelo desse ou daquele jeito, se prefiro azul a vermelho, o problema é meu, só meu, e ninguém tem nada a ver com isso. 

Sim, posso estar me enganando, achando bom o que é uma porcaria. Mas esse é um risco de todos nós, não é? Acreditar demais em nós mesmos.

Seja como for, é melhor acreditar e correr o risco de quebrar a cara a deixar que a opinião dos outros te coloque pra baixo, freie as suas vontades, bloqueie suas iniciativas.

Como diz aquela música: "os outros são os outros e só."  

Nenhum comentário:

Postar um comentário